ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

voltarVoltar

Email

Informativo

08 de Outubro de 2018

Definida composição da vacina contra a influenza

 

As vacinas da influenza sazonal são geralmente modificadas anualmente, para proteção contra as cepas virais de gripe em circulação. 

Foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da última sexta-feira (5/10) a Resolução RE 2.714 da Anvisa, com a composição das vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil no próximo ano. Segundo a Resolução, as vacinas influenza trivalentes que devem ser utilizadas a partir de fevereiro de 2019 deverão conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus em combinação, e deverão estar dentro das seguintes especificações:

- Um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09.

- Um vírus similar ao vírus influenza A/Switzerland/8060/2017 (H3N2).

- Um vírus similar ao vírus influenza B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87).

As vacinas influenza quadrivalentes contendo dois tipos de cepas do vírus influenza B deverão conter um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013 (linhagem B/Yamagata/16/88), adicionalmente aos três tipos de cepas especificadas acima. As vacinas da influenza sazonal são geralmente modificadas a cada ano, para proteção contra as cepas virais de gripe em circulação.

Normalmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulga, no mês de setembro, a recomendação das cepas de vírus influenza que devem ser utilizadas na produção das vacinas para o Hemisfério Sul. Seguindo as determinações da OMS e da RDC 151, de 20 de abril de 2017, a Anvisa publica todos os anos uma resolução que define a composição das vacinas da influenza a serem utilizadas no Brasil no ano seguinte.