ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

voltarVoltar

Email

Informativo

21 de Maio de 2019

Debate sobre doenças raras lota auditório da Anvisa

Atualmente, 13 milhões de brasileiros são portadores dessas doenças.

A Anvisa foi sede, nesta segunda-feira (20/5), do 1º Workshop sobre Doenças Raras. Fruto de uma parceria entre a Agência e a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), o evento lotou o auditório da instituição. Um dos objetivos do encontro foi a troca de conhecimentos científicos. 

Para o gerente geral de Medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, que participou do workshop, o resultado de encontros como esse é que há um compromisso com a transparência do que é avaliado na Agência em relação aos medicamentos para o tratamento de doenças raras. “Isso permite um avanço na harmonização dos requisitos para avaliação desses medicamentos e evita um retrabalho, pois podemos considerar experiências internacionais para que a gente não precise reinventar uma rota, para que possamos realmente focar no que seja próprio do Brasil, nas necessidades da nossa população”, afirmou Mendes.   

Segundo a presidente executiva da Interfarma, Elizabeth de Carvalhaes, o tema requer atenção de um país emergente como o Brasil. “Nos últimos anos, houve um aumento significativo na área de doenças raras e a judicialização não pode ser o único caminho de acesso para cerca de 13 milhões de brasileiros com doenças raras”, ressaltou. Ela destacou ainda que, entre 2013 e 2018, a União gastou R$ 6 bilhões para atender demandas judiciais. “Isso é prejudicial para toda organização, pois o dispêndio fora do planejamento desorganiza todo o sistema público e ainda há o risco de o paciente não ter continuidade no tratamento”, concluiu. 

Participaram como palestrantes do evento os especialistas Dra. Chery Renz, Dr. Huy Nguyen, Dr. Anand Achanta, Dra. Alison Schecter, Dra. Laura Rabinovich, Dr. John Zhong, Dr. Stuart Turner, Dra. Diane Rocco e Dr. Otávio Berwanger. 

Fonte: Ascom/Anvisa