ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

voltarVoltar

Cases

A Visanco teve a oportunidade de participar de vários projetos de regulamentação técnica no âmbito da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, em grupos de trabalho ou contribuições em consultas públicas – e suas consolidações, representando associações do setor alimentício e farmacêutico.

Atuou também na inovação de diversos produtos classificados como Novos Alimentos e/ou Ingredientes, e Alimentos com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde.

Estruturou tecnicamente processos de transferência de tecnologia, inclusão e padronização de medicamentos essenciais, de alta complexidade e alto custo no âmbito do Ministério da Saúde, Estados e Municípios, propiciando a aquisição desses medicamentos pelo setor público, garantindo acesso gratuito aos pacientes assistidos pelo SUS.
 

Cases da Área de Alimentação e Nutrição:

  • Portaria no. 27/98 - Regulamento Técnico referente à Informação Nutricional Complementar (declarações relacionadas ao conteúdo de nutrientes);
     
  • Portaria no. 28/98 - Regulamento Técnico referente à Aditivos para Alimentos com Informação Nutricional Complementar e Alimentos para fins Especiais;
     
  • Portaria no. 29/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos para fins Especiais;
     
  • Portaria no. 30/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos para Controle de Peso;
     
  • Portaria no. 31/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos Adicionados de Nutrientes Essenciais;
     
  • Portaria no. 32/98 - Regulamento Técnico referente à Suplementos Vitamínicos-Minerais;
     
  • Portaria no. 33/98 - Regulamento Técnico referente à IDR - Ingestão Diária Recomendada (revogada pela Resolução RDC nº 269/05);
     
  • Portaria no. 34/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos de Transição para Lactentes e Crianças de Primeira Infância;
     
  • Portaria no. 36/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos à base de Cereais para Alimentação Infantil;
     
  • Portaria no. 40/98 - Regulamento Técnico referente aos Níveis Máximos de Segurança de Vitaminas e ou Minerais em Medicamentos;
     
  • Portaria no. 222/98 - Regulamento Técnico referente à Alimentos para Praticantes de Atividade Física;
     
  • Portaria no. 868/98 - Regulamento Técnico referente à Composto Líquido Pronto para Consumo (revogada pela Resolução RDC nº 273/05);
     
  • Resolução no. 16/99 - Regulamento Técnico referente à Novos Alimentos;
     
  • Resolução no. 17/99 - Avaliação de Risco e Segurança dos Alimentos;
     
  • Resolução no. 18/99 - Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas para análise e comprovação de propriedades funcionais e ou de saúde alegadas em rotulagem de alimentos;
     
  • Resolução no. 19/99 - Regulamento Técnico de procedimentos para registro de alimento com alegação de propriedades funcionais e ou de saúde em sua rotulagem;
     
  • Resolução RDC no. 02/02 - Regulamento Técnico referente à Substâncias Bioativas e Probióticos;
     
  • Resolução RDC no. 263/05 - Regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos;
     
  • Resolução RDC no. 264/05 - Regulamento técnico para chocolate e produtos de cacau;
     
  • Resolução RDC no. 265/05 - Regulamento técnico para balas, bombons e gomas de mascar;
     
  • Resolução RDC no. 266/05 Regulamento técnico para gelados comestíveis e preparados para gelados comestíveis;
     
  • Resolução RDC no. 267/05 - Regulamento técnico de espécies vegetais para o preparo de chás;
     
  • Resolução RDC no. 268/05 - Regulamento técnico para produtos protéicos de origem vegetal;
     
  • Resolução RDC no. 269/05 - Regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada (idr) de proteína, vitaminas e minerais;
     
  • Resolução RDC no. 270/05 - Regulamento técnico para óleos vegetais, gorduras vegetais e creme vegetal;
     
  • Resolução RDC no. 271/05 - Regulamento técnico para açúcares e produtos para adoçar;
     
  • Resolução RDC no. 272/05 - Regulamento técnico para produtos de vegetais, produtos de frutas e cogumelos comestíveis;
     
  • Resolução RDC no. 273/05 - Regulamento técnico para misturas para o preparo de alimentos e alimentos prontos para o consumo;
     
  • Resolução RDC no. 274/05 - Regulamento técnico para águas envasadas e gelo;
     
  • Resolução RDC no. 275/05 - Regulamento técnico de características microbiológicas para água mineral natural e água natural;
     
  • Resolução RDC no. 276/05 - Regulamento técnico para especiarias, temperos e molhos;
     
  • Resolução RDC no. 277/05 - Regulamento técnico para café, cevada, chá, erva-mate e produtos solúveis;
     
  • Resolução RDC no. 278/05 - Aprova as categorias de Alimentos e Embalagens Dispensados e com obrigatoriedade de Registro;
     
  • Portaria no. 287/06 – Aprova regulamento técnico para Leite em pó modificado;
     
  • Portaria no. 288/06 – Aprova regulamento técnico para Composto lácteo;
     
  • Portaria no. 289/06 – Aprova regulamento técnico para Leite aromatizado;
     
  • Projeto de Lei sobre Produtos de Origem Natural para a Saúde (ABIFISA);
     
  • Proposta de novo regulamento técnico: Alimentos para Atletas (ABENUTRI e ABIAD);
     
  • Aprovação do primeiro Leite Ômega3 do mercado, em 2000;
     
  • Estudo de mercado, com o levantamento de empresas brasileiras fabricantes e/ou importadoras de produtos alimentícios, na categoria de suplementos nutricionais, funcionais, novos alimentos e bioativos;
     
  • Atuação na elaboração de diretrizes para o Planejamento de Atividades do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE;
     
  • Elaboração e aprovação dos processos de registro dos primeiros probióticos, licopeno, gérmen de soja, óleo de cártamo e colostro do país;
     
  • Elaboração e assessoramento de processos de avaliação de segurança e eficácia dos produtos: Colágeno, Licopeno, Diacilglicerol, Óleo de Peixe, Luteína, Colostro, Amido Resistente, Gérmen de Soja, Óleo de Cártamo, Glutamina, entre outros;
     
  • Aprovação do uso de colágeno em bebidas compostas, em 2006;
     
  • Aprovação de outros “suplementos” alimentares previstos pela legislação vigente (prímula, boragem, gérmen de trigo, lecitina de ovo, lecitina de soja, vegetais em cápsulas, graviola, colágeno, gelatina, gelatina de peixe, fibras alimentares, bebidas energéticas, alimentos protéicos para atletas, compensadores, repositores, dentre outros mais);
     
  • Elaboração de processos, com suficiente embasamento científico, de produtos inovadores ainda não regulamentados como Novos Alimentos ou Alegações de Propriedades Funcionais, ainda não aprovadas pela Anvisa.

Cases da Área Farmacêutica:

  • Portaria no. 185/99 – Estabelece os procedimentos para a obtenção de Autorização de Funcionamento para Importadores e Distribuidores de Medicamentos;
     
  • Portaria no. 40/98: medicamentos à base de vitaminas e minerais;
     
  • Resolução RDC no. 48/04 – que estabelece os procedimentos para registro de medicamentos fitoterápicos;
     
  • Projeto de Lei sobre Produtos de Origem Natural para a Saúde (ABIFISA);
     
  • Participação no Fórum de Competitividade do Setor Farmacêutico;
     
  • Participação da consolidação em diversas Consultas Públicas na área de medicamentos, cosméticos, produtos para a saúde e saneantes;
     
  • Atuação em grupos de trabalho sobre insumos farmacêuticos;
     
  • Elaboração e aprovação de processos de registro de medicamentos, cosméticos, produtos para a saúde e saneantes;
     
  • Aprovação da inclusão da Olanzapina e do Raloxifeno na lista de medicamentos excepcionais do SUS;
     
  • Aprovação da extensão de uso hospitalar para o medicamento Olanzapina;
     
  • Inclusão do medicamento Tenofovir no Programa Nacional DST/AIDS participando da aprovação do preço do medicamento junto à CMED;
     
  • Inclusão do medicamento Atazanavir no Programa Nacional DST/AIDS participando da aprovação do preço do medicamento junto à CMED;
     
  • Padronização e comercialização do medicamento Implanon no Programa Estadual de Planejamento Familiar
    dos Estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso;
     
  • Estudo de mercado e viabilidade de hemoderivados no país;
     
  • Padronização do medicamento Xigris (drotrecogina alfa ativada) no Estado do Paraná;
     
  • Participação no processo de transferência de tecnologia de medicamentos entre o setor privado e o público;
     
  • Capacitação, treinamento e pré-auditorias em Boas Práticas de Fabricação e Controle, visando a certificação de BPF da Anvisa em empresas Chinesas,
    Indianas, Japonesas, Mexicanas, Americanas, Argentinas, Alemãs, entre outras.